Flora
Este trabalho tem por objetivo analisar o sertão de Riobaldo: a flora em Grande Sertão: veredas. Para cumprir o objetivo proposto, usamos de um método analítico textual, ou seja, fizemos leitura de bibliografias referentes ao tema e leituras minuciosas de Grande sertão: veredas, catalogando os vegetais que estão presentes no romance1. Feito isso, realizamos uma pesquisa da etimologia, da serventia e dos nomes populares dos vegetais encontrados; estudamos ainda, livros e dicionários especializados em botânica, comparando com os termos da flora empregados pelo personagem em seu discurso. Após tais pesquisas e comparações, refletimos sobre a importância e simbologia da flora na narrativa de Riobaldo, visto que, nada é posto gratuitamente nas obras de Guimarães Rosa. Desta forma, nos deparamos com uma natureza ímpar, em que a flora é usada, não só para compor o cenário sertanejo ou moldurar o plano de fundo na travessia de Riobaldo, mas uma vegetação que descreve a singularidade do sertão, ganhando uma pluralidade de significados e se relacionando com seus personagens. Esse trabalho torna-se importante na medida em que contribui para o avanço da fortuna crítica rosiana, disponibilizando novos conhecimentos sobre a flora presente no romance e, ajudando assim, leitores que tenham interesse em conhecer a natureza que acompanha a trama da vida de Riobaldo, numa narrativa em que a vegetação delineia a individualidade do sertão e se entrelaça com os que o habitam.

 

pdf Flora – (Júnia Cleize Gomes Pereira e Telma Borges).pdf